A vida de um carro

Tempo de leitura: 2 minutos

Quem pensa que ser carro é fácil, tá bem enganado. O trânsito é inteiro feito de confiança. Confiar sem ter como confiar. Afinal, você não conhece os colegas carros que te acompanham pelas ruas, estradas ou avenidas. Vale arriscar! Arriscar que o carro do seu lado não vai virar em cima de você com tudo e te machucar. Arriscar que os pneus vão aguentar firmes e fortes, sem deslizar na pista, as tempestades que você enfrenta. Você confia, mesmo sem poder, que todos os outros carros vão dar seta pra virar, confia que eles vão parar em todos os ”pares preferenciais”.
Sempre tem aquele carrão, aquele cobiçado por todos. Vermelho, que chega até brilhar. Poderoso, não tem como não ser visto. Chama mesmo a atenção. Com tanta beleza e formosura, você pode jurar que ele dá seta, para em todos os ”pares preferenciais”, respeita todas as normas do trânsito. É tão lindo e imponente, é óbvio que respeita. Mas de repente, aquele encanto todo, corta a frente de todos os outros carros (cinzas, brancos e até amarelos) de modo mal educado. Atravessa o sinal vermelho e vira a esquerda sem ao menos se preocupar com a esperada seta. É mesmo bem complicada essa história de confiar né?
Enquanto isso, em qualquer outra avenida por aí, vem vindo um Uninho. Desses novos, sabe? Ele é cinza e tá surrado, tem algumas raladinhas na traseira e o espelho retrovisor do lado direito tá trincado. Pouco barbeiro, ein?
Mas acho que não… O Uninho segue tão tranquilo, não esquece a seta de jeito nenhum, toma um cuidado excepcional para fazer qualquer ultrapassagem e procura não furar os semáforos (Seguem as exceções, é claro! De madrugada é perigoso por demais ficar parando em tudo quanto é sinal vermelho. Dá aquela olhadinha básica e segue em frente sem problemas).
Porque será então que o Uninho é tão surrado e tem até o espelho retrovisor direito trincado? Acho que ele confiou demais. É, esperou que todos os outros carros agissem como ele.
Normal… Se machucou um pouco e segue um tanto quanto diferente. Mais atento e menos inocente. Quem sabe agora possa até vir a fazer alguma ultrapassagem irregular.
Agora, cá pra nós. O que dá mais medo são os caminhões. A maioria dos acidentes com esses gigantes do trânsito levam as maiores dores. São os mais enormes e os mais pesados, justamente esses que nos fazem reféns totais. Realmente não dá pra discutir com caminhão.
Mas não vamos generalizar. Nesses anos de estrada, conheci bons caminhões que nunca causaram acidente algum. Usaram sua excelência para as imensas viagens e transportaram suas cargas de modo muito educado (Bons frutos…). Porém, é aquela história… Se um dia algum caminhão resolver te ferrar, se prepare!
E agora eu provo, as aparências realmente podem enganar.
De qualquer forma, o trânsito tem que seguir. Os semáforos têm que abrir e fechar, os Uninhos, as Ferraris e até os caminhões têm que passar.
E a gente? segue com cuidado pra não exagerar com a buzina!


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/calcasquadradas/www/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

4 Comentários


  1. Gosto desse jeito, não tão óbvio, de falar sobre coisas óbvias, cotidianas da vida, e que, mais que isso, são inescapáveis. Gosto porque faz o leitor refletir naturalmente sobre o assunto, antes mesmo de o querer fazer. Nem tão fácil quanto um texto objetivo, nem tão difícil como os enigmas de um poema. Parabéns, Sibe, você vai longe! Beijinhos, de uma fã.
    Ps: porque eu ainda nao tenho carteira e ja sei de tudo isso? Hahahaha

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *